Páginas

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Virando a página


Amor e Revolução, que tinha tudo para funcionar, não agradou. O público brasileiro, zapeando pelas opções do horário, até pode ter dado uma chance para a trama, mas se assustou com algum pau de arara ou verdade histórica e acabou por mudar de canal, sem voltar atrás. Uma pena.
O sentimento de decepção não pode tomar conta da emissora. Todos sabem do potencial de Tiago Santiago, que deverá encarar algum novo desafio em breve. Agora no SBT, todas as atenções precisam estar voltadas para a nova produção da casa, a novela Carrossel. Os aparentes baixos custos, uma produção facilitada e teoricamente espaço certo na grade de programação fizeram a alta direção da emissora colocar este trabalho aí a ser realizado, adaptado por Íris Abravanel, esposa de Silvio Santos e autora das já exbidas Revelação e Vende-se um Véu de Noiva (adaptação), além da gravada porém inédita Corações Feridos (adaptação).
Crianças já são procuradas pela equipe responsável. A ideia é trazer de volta o sucesso alcançado pela emissora nos tempos da exibição da trama original ou de transmissão de Chiquititas, por exemplo. Não há dúvidas de que o público infantil está colocado de lado na TV brasileira. O espaço, então, existe.
Há quem diga que Maísa, a apresentadora prodígio, poderá ser a vilã da história mirim. Não sei se é uma boa ideia, afinal de contas ela, de alguma forma, é, hoje, exemplo para as crianças. Atitudes ruins relacionadas mesmo que a um personagem feito por ela podem provocar certas confusões na cabeça dos pequenos. Seria um marketing interessante, mas como seria dividida a Maísa legal da personagem ruim? Para quem só assiste, só resta aguardar. As gravações devem começar em outubro.

terça-feira, 31 de maio de 2011

O novo jornal


Na segunda-feira, 30 de junho, o SBT levou ao ar o esperado novo (de novo) SBT Brasil. Com ancoragem de Rachel Sheherazade e Joseval Peixoto a proposta do formato apresentado é estar mais próximo do telespectador, com opinião e informação diferenciada.

A moça da bancada é a nova pupila de Silvio Santos, inclusive comentou sobre isso no chat que seguiu o fim da atração de estreia. Ele tem o costume de ver talento nas pessoas e lapidá-las. Ela é a mira da vez, e começou bem em rede nacional. Prometeu opinião e cumpriu. Talvez com o tempo a equipe entenda qual a dosagem ideal de comentários que ela deve soltar após as matérias. Quando é demais não agrada, fica forçado.

Joseval veio da rádio, como diz repetidamente em cada entrevista, e agora o dono da tv mais feliz do Brasil o puxou para a televisão. Garante que é uma oportunidade interessante e que o trabalho ao lado da jovem paraibana citada acima flui muito bem. Parece até que quer a ajuda dela para lidar com as mídias sociais.

Um dos pontos que chama a atenção logo na primeira exibição do telejornal é o cenário. Os fãs da emissora não esperavam inclusive que o anterior seria trocado e, surpresos, viram tons de rosa sobrando na tela, além de umas placas apagadas ao fundo, em uma tentativa estranha de talvez esconder a velha ideia da redação trabalhando por trás da bancada.

É complicado julgar um produto como esse com poucos dias de exibição, mas já deu para notar as diferenças com a forma apresentada na última semana e que as atenções, apostas e expectativas do departamente de jornalismo da emissora estão voltadas para o trabalhoso e discutido SBT Brasil.

Vamos dar um tempo de confiança e torcer para que tenhamos em nossa televisão aberta mais um diferencial em jornalismo com qualidade e credibilidade perante o telespectador. Notícia é coisa séria e Rachel Sheherazade garante que a opinião virá apenas nos comentários posteriores às matérias e não na forma de construir as informações, permitindo a isenção fundamental para a profissão.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Entre públicos


É interessante observar o quanto a série Tapas e Beijos, que ocupa o horário deixado pelo Casseta e Planeta (22h15 das terças-feiras) tem uma pegada mais popular, estando mais próxima, assim, do telespectador, em geral.
Em uma clara tentativa da Rede Globo de agradar uma comentada Classe C, grupo que eu não conheço, alguns programas tem tentado falar a também muito discutida "língua do povo", como se o público fosse uma gente segmentada, com famílias superiores à outras. Mas, enfim, cenários, figurinos e textos tem falado mais da rotina do brasileiro trabalhador, que vai de ônibus para o trabalho e que, no máximo, acompanha o filho até a porta de seu colégio público.
Vem uma novela de Aguinaldo Silva por aí no horário das 21h, provavelmente com tal jeito de contar sua história.

domingo, 22 de maio de 2011

Do Youtube para a TV


Não sei quem teve a ideia, mas levar as celebridades instantâneas da internet para o palco do Programa Eliana foi uma jogada muito interessante. Mostrar os vídeos mais vistos é muito fácil, e até corriqueiro, dentro da televisão, mas fazer um trabalho de produção atrás destas pessoas e mostrar um outro lado delas nos estúdios é, ao mesmo tempo, dar oportunidades e trazer diversidades para um programa de televisão.
A sacada é simples, não sei como não pensaram nisso antes, e se pensaram por que não continuaram? Sei que agora as portas estão abertas para que cópias e versões do quadro da loira apareçam aí pelas atrações criativas da nossa TV.

Tática bem pensada



É interessante observar o sucesso da Escolinha do Gugu, na Rede Record. A fórmula humorística já parecia desgastada, mas pegou a boa fase de Augusto Liberato e foi bem pensada dentro de seu programa.
Praticamente nada foi alterado da estrutura já conhecida, nem mesmo com relação a última versão, produzida pela Band. Só que na Record, no fim da tarde de domingo funcionou. A que se deve esse acerto?
Como a ideia era testar para depois gravar mais episódios, possivelmente novas aulas devem acontecer por esses dias nos estúdios da emissora dos bispos.

sábado, 14 de maio de 2011

Novo velho humor


Amanhã volta, na tela da Rede Record, uma velha fórmula de sucesso da TV Brasileira. A conhecida escolinha com humoristas é a mais nova aposta do Programa do Gugu. Ele será o professor da nova turma, nem tão nova assim.
O que essa atitude da emissora significa? Mais uma vez a criatividade e a coragem para arriscar passaram longe dos produtores da nossa TV e a gaveta foi remexida. Não é totalmente ruim, não é uma proposta chata ou algo do tipo, a ideia é até que seja o contrário, porém o público e os tempos em que vivemos atualmente pedem coisas novas, inesperadas.
O elenco será praticamente todo já conhecido, inclusive de outras escolas que já deram suas aulas nos canais abertos. A produção do ex-pupilo de Silvio Santos preferiu, ao que se sabe, gravar apenas dois episódios de início, somente um teste. Será observada a resposta da audiência. Se houver condições, o quadro fica fixo.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Uma revolução de luta


A trama Amor e Revolução estreou com toda pompa e estardalhaço, mas aparentemente não agradou. É bem verdade que grande parte dos dados de audiência disponíveis são de São Paulo, porém não é possível acreditar que nos outros estados a situação seja totalmente diferente.
Sendo uma novela com atores conhecidos e história do povo brasileiro, ela tinha tudo para funcionar. O que, então, aconteceu? Talvez o excesso de violência, em que claramente procurava-se absorver público masculino, tenha afastado os atentos olhos dos telespectadores da noite, cansados de tanta notícia ruim.
O mérito de trabalhar com a história do país que pouca gente comenta o autor, Tiago Santiago, e o SBT não perdem, não pode ser ignorado. Porém, a produção, refém das estratégias controversas da emissora, sendo colocada após o fim da novela das 21h da Rede Globo, nunca tem um horário fixo para começar, e TV simplesmente não se faz dessa forma. Televisão é hábito, é alívio, é identificação.
Pelo que se sabe a equipe trabalha sem medidas para descobrir que pontos agradam e quais não ao público brasileiro, para direcionar melhor os investimentos, indo ao encontro das expectativas do essencial público.
Por exemplo, estava marcado para ir ao na noite de hoje o primeira beijo homossexual da Televisão Brasileira, o que provocou diversos comentários e especulações no twitter. Mas o SBT não transmitiu a cena, apenas finalizou o capítulo com o início do comentado trecho, deixando a curiosidade para amanhã. Será que o telespectador quer entrar nessa brincadeira de amigos?

domingo, 17 de abril de 2011

Para mudar, a nova


Com a chegada de um novo comandante para o setor, o jornalismo do SBT deverá passar por grandes reformulações, baseadas em investimentos e estratégias. É o que se espera e não faz pouco tempo. Nos últimos dias o principal telejornal da emissora, SBT Brasil, já tem mostrado melhoras nos índices de audiência, isso com mudanças mínimas.
A ideia é mudar, crescer e mostrar essa nova cara. Com isso acredita-se que Carlos Nascimento e Karyn Bravo podem ser tirados da apresentação do telejornal citado. O primeiro ficaria apenas no Jornal do SBT Noite enquanto sobre a segunda há quem diga que gera interesse da Rede Record.
A aposta de Silvio Santos, saída de algum tipo de premonição ou simples simpatia, é Rachel Sheherazade, jornalista que soltou uma opinião toda particular sobre o Carnaval e que, assim, pela sua sinceridade e coragem, agradou o dono do baú. A moça agora já faz parte do jornalismo nacional da emissora e deve ficar com o SBT Brasil. Para isso acontecer, pelo menos Karyn deveria sair, o que não agrada alguns fãs da emissora.
Quem consegue imaginar um telejornal sendo apresentado pela nova sensação de Silvio Santos em companhia de Carlos Nascimento? Seria opinião e verbos soltos por todo lado. E o excesso não funcionaria. Logo, o próximo tiro no escuro na emissora do Senhor da Telesena deverá ser jogar a principal peça jornalística da casa nas mãos de alguém totalmente nova no jogo, mas que nem por isso é inexperiente.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Últimos suspiros


Após o fim do Casseta & Planeta, a temporada de renovação da Rede Globo foi aberta. O próximo clássico da emissora a ser tirado do ar é Malhação. A trama, casa de testes para novos talentos e alguns prováveis únicos capítulos de fama, vem perdendo força e consequentemente audiência nos últimos anos.
Após 16 anos no ar, a atração mudará de mãos após o fim dessa temporada que está no ar e, o que seria apenas mais uma reformulação, provavelmente será uma tranformação radical nos objetivos do projeto. O nome Malhação até pode continuar, porém acompanhado por alguma outra palavra para compor o título, e reviravoltas de intenção, formato e talvez até público alvo.
A notícia representa renovação, desapego e visão estratégica. Com tanto tempo de duração, muitos pontos mudaram na história, muita coisa se repetiu e o público cresceu e mudou.
O que você espera que vem por aí? A série merecia mais uma chance ou o que vem de novo poderá ser algo bem mais positivo?

(Informações de OPlanetaTV)

terça-feira, 5 de abril de 2011

Romeu e Julieta nos anos de chumbo


A noite de hoje é de estreias na Televisão Brasileira. Amor e Revolução, primeira novela a se passar inteiramente no período da Ditadura Militar, começa nesta terça, 22h15.
Como Silvio Santos mesmo disse em seu Roda a Roda, exibido no último domingo, essa trama de Tiago Santiago é a grande aposta do SBT para esse ano. Com seu bom humor de sempre, o homem do baú disse que essa produção iria tirar o sbt do lôdo. E mais, segundo ele, se a história não funcionar nos números haveria uma revolução no SBT. Por trás de brincadeiras, sempre há um fundo de verdade e aí podemos perceber que o Senhor Abravanel espera muitos frutos na narrativa de Maria Paixão e José Guerra.
A novela tem potencial, unindo bom autor, bom tema em um bom momento do país, bom elenco e boa direção. Já causou comentários, discussões, enfim, por tocar em uma ferida da história brasileira, a novidade já foi muito comentada na internet e em demais grupos.
Com concorrência teoricamente Amor e Revolução não precisará sofrer muito hoje. A Globo estreia Tapas e Beijos, uma série de humor sem muitas novidades quando comparada com as demais da emissora. E a Record vem com mais uma temporada do desgastado, porém lucrativo e não pouco engraçado, Ídolos.
Por fim, não resta dúvidas de que essa trama é a mais profissional e bem avaliada que o SBT já produziu e pode sim ser um ponto marcante da sua história nas audiências pelo país.

domingo, 3 de abril de 2011

Então me diz, o que você quer ver?


Com toda a diversidade de interesses e meios que o público dispõe hoje, um dos grandes desafios das emissoras de TV é inovar na forma de se aproximar dessas pessoas. Porém o que mais observamos são programas que, ao invés de surpreenderem, são repetições, cópias e as chamadas novas versões do que já foi transmitido, do que já fez sucesso.
Os canais de TV são, na maioria das vezes, comandados por cabeças fechadas, que excluem possibilidades de simples renovação. E o que a gente, plateia de todos esses espetáculos, podemos fazer, é debater o que existe, além de dar ideias, mostrar o que o brasileiro quer assistir.
Por isso te pergunto: que tipo de programa você, telespectador, considera que falta na nossa TV Aberta? Há espaço para esse tipo de atração que você gostaria de ver? Alguém mais além de você assistiria a esse programa?

quarta-feira, 30 de março de 2011

Visita inesperada


Acontecia uma reunião de trabalho quando ouvi comentários de que uma celebridade estava pelos corredores da faculdade. Era uma moça de atual sucesso, uma atriz querida pelo público, e por mim. Eu quis vê-la. A primeira tentativa foi em vão, mas logo depois, acompanhado, segui rumo a encontrar a atriz em seu passeio por nosso ambiente cotidiano.
A global ao que se sabe irá participar do filme Faroeste Caboclo e estava hoje na universidade praticando um laboratório para a personagem, passando por uma simples estudante da graduação. O burburinho caiu solto, diziam que ela não estava atendendo à ninguém que se referisse a ela pelo nome. Era naquele momento Malu, uma simples universitária.
Os olhares atentos e insistentes daqueles que a reconheceram a acompanhavam por onde passava, fosse biblioteca, pátio ou uma loja de livros. A vontade era falar com ela, mas a tal Malu não me conhecia e não tinha assuntos comigo.
Quem era a mulher? A atriz Isis Valverde (Marcela de TiTiTi), que, linda, deu o ar de sua presença nesta tarde de 30 de março na Universidade de Brasília, não oficialmente, mas profissionalmente. A Malu passou por alguns sem ser notada, porém despertou a curiosidade de outros, espertos.

terça-feira, 29 de março de 2011

Ditos melhores


Foi ar na noite do último domingo, 27 de março, o Domingão do Faustão especial. Especial de fim de ano? Fora de época.
Foi uma noite para premiar os melhores do ano passado. Sim, transmitida em março. O nome da atração é Os Melhores do Ano. Trata-se de uma clara demonstração de auto-confiança e total segurança da Rede Globo em suas produções. Os anos podem ter passado, algumas peças do jogo terem se invertido, porém a tv da família Marinho continua fechada em si mesma e achando que seus filhos são melhores que o dos vizinhos. Mais bonitos, mais talentosos, mais famosos, mais brilhantes.
Não é bem assim. Temos grandes profissionais e produções nas outras emissoras, o que possibilita a sugestão de um novo nome para a premiação global: Os Melhores da Globo.
Concordo que alguns prêmios foram merecidos. Cito aqui o caso de Murilo Benício, que mesmo com o agora novamente visível mau desempenho em O Clone, fez bonito em TiTiTi, novela recém encerrada. Foi o melhor ator do ano passado.
Vem aí o Troféu Imprensa 2011 (sobre 2010) que, entre um ou outro julgamento, ao menos reconhece ou tenta reconhecer todas as emissoras e o que está dividindo o público.

sábado, 26 de março de 2011

Apelo visual


Terminou ontem a primeira semana da novela Rebelde, da Record. A audiência seguiu crescente e deve ter agradado a emissora.
Desde a feia Betty (não lembro o nome da versão brasileira) que foi possível notar que na Record as adaptações de tramas da Televisa teriam um ponto particular: não seriam uma simples cópia. Na emissora dos bispos as tramas mexicanas sofrem uma reformulação e não seguem à risca o original. A novela adolescente que está começando tem muitos momentos que são quase integralmente fiéis ao texto primeiro, porém tem algo totalmente novo: a edição.
Talvez com a novela Malhação no inconsciente, essa versão de Rebelde dá muito valor ao estético. A estrutura visual dessa novela é claramente diferente da sua irmã do México. Aqui ela está mais infantil, mais baseada em tentativas, quem sabe até mais tecnológica. No decorrer das cenas surgem quadrinhos, divisões de tela, pausas ritmadas, tudo dando um ar jovem e possivelmente inovador ao todo.
Será que isso é ruim? O público brasileiro da nova versão é o mesmo da anterior ou com a nova cara se alcança um novo público? Será que alterações na imagem e no roteiro seguem uma linha ou são apenas uma desenfreada tentativa de se desvincular do que já era conhecido? Não sei, mas parece que o brasileiro está gostando do que está aí.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Novos talentos novos


A noite do dia 5 de Abril será de estreias na Televisão Brasileira e, para tal período especial, a Rede Record aposta na volta de Ídolos.
Sem dúvida um dos pontos altos da atração na atual emissora é a apresentação. Rodrigo Faro é um dos melhores animadores da nossa telinha atual e se mostra dessa forma também no comando do Reality musical, além do seu habitual O Melhor do Brasil. Sua versatilidade para diferentes segmentos de programas é bastante interessante.
Entretanto a fórmula do Ídolos já está desgastada. Os tempos áureos de Fama ou Popstars já passou e olha que nem deixou grandes frutos. O mercado brasileiro e o público, principalmente, nunca estiveram totalmente dispostos a lidar por anos com os cantores que surgiram em tais concursos de talentos.
Do Fama restaram, pelo que me lembro, Hugo e Tiago. Do Popstars não temos nem mais rastros de Rouge ou Br'oz. E dos primeiros Ídolos o Leandro Lopes aproveita hoje seu posto de vocalista do grupo Rapazolla.
A nova versão, nova tentativa de emplacar um grande novo talento, novamente transmitida pela rede dos bispos estreia em breve e com certeza toda a equipe de apresentadores está pronta para posteriores divulgações e espaços para o grande vencedor.
Esse tipo de programa ainda é necessário na televisão? Acho que sim, mas resta descobrir de que forma, afinal como ele é hoje não funciona. A grandiosidade do reality e o modo forte como é colocado no ar são louváveis. Este empenho poderia ser sempre utilizado na busca do novo. Ahhh o novo.

terça-feira, 22 de março de 2011

Segunda atípica

Ontem estreou Rebelde na Record. O pouco que assisti não me impressionou, mas admito que não foi uma má impressão suficiente para me impedir de continuar assistindo. Acontece que eu não sabia muito bem o que esperar da novela. Ainda não sei se era melhor que ela trouxesse o novo ou que em alguns momentos fosse literalmente idêntica à original, como aconteceu.
Parece que a audiência do primeiro capítulo foi satisfatória, o que á natural. O público estava curioso para ver a versão recordista do sucesso mexicano. Agora poderemos analisar melhor à partir dos números dos próximos capítulos.
E o SBT hein? Ao menos pela internet estava espalhada uma onda de suposições sobre o que entraria no ar às 7 da noite, após Harry Potter no Cinema em Casa, para bater de frente com as estreias da Globo e Record. E ontem, a surpresa. Com o atraso da programação causado pelo filme, a sequência da grade não trouxe nada de novo. Acredita-se que a tal surpresa possa aparecer na semana que vem, afinal o especial do bruxo de sucesso acaba nesta sexta.
Já na Globo, a estreia de Morde e Assopra foi bem, pelo menos na audiência, já que não assisti para poder julgar. A novela estreou com índices superiores aos da estreia anterior, TiTiTi. Claro, graças ao sucesso desta.

sexta-feira, 11 de março de 2011

Surpresa especulada



Tudo indica que o SBT está preparando uma surpresa para o horário das 19h, já para ir ao ar à partir da próxima segunda-feira. A ideia é que seja uma atração que puxe público para desestabilizar as estreias da Globo e Record da semana seguinte.
Um movimento na Internet acredita na volta da versão mexicana da novela Rebelde, o que seria uma briga corajosa com a Rede Record, que estreia dia 21 a versão brasileira da trama. A emissora de Silvio Santos e ele são imprevisíveis, mas não acredito muito que o patrão topará essa atitude. Só que ele já fez coisas inesperadas em variados momentos, logo Rebelde Mexicano X Rebelde Brasileiro não é algo impossível de acontecer. Seria curioso. Qual venceria essa disputa?
Há quem diga que o SBT estaria planejando estrear a novela mexicana Amor de Verão, o que seria uma loucura. Tendo tantas opções no horário, o telespectador simplesmente não irá escolher uma história que não traz nada de novo e que tem cara de tapa-buracos. Torçamos para que essa informação seja apenas especulação. Seria triste, para não dizer deprimente.
Contudo, conhecendo as ideias do SBT, as propostas que conseguiram e as que não conseguiram ser apresentadas na grade de programação, a grande surpresa pode ser um jornal novo, uma série de comédia até mesmo já conhecida, Chaves ou coisas do gênero, com todo um jeito de última opção que foi escolhida. Afinal, o que vem por aí? Pelo jeito só dia 14 para descobrir!

(imagem: ZappingTVNews)

quarta-feira, 9 de março de 2011

A volta do astro


Novela dos anos 70, na Rede Globo, O Astro deve estar de volta em breve na emissora. Calma, não será uma reprise. Animada com os bons resultados do excesso de dramaturgia do Canal Viva, a TV dos Marinho resolveu apostar em macrosséries para alavancar seus índices dos fins de noite. Então, vem aí a nova cara da citada trama.
Após a decepção com os baixos números de realitys e humorísticos, a faixa das 23h recebe agora um novo olhar da direção da Globo. Acredita-se que com a volta de tramas de sucesso em um novo formato, com uma nova roupagem, o brasileiro irá novamente se encarar como alguém que vive de telenovelas e a audiência do canal pode voltar a tomar uma margem confortável de distancia das concorrentes. Tais adversárias não perdem tempo e investem cada vez mais no horário, conferindo maior atenção ao interesse do público e em se tornarem a melhor opção.
O elenco ainda não foi divulgado, mas não parece haver dúvidas de que essa é a próxima novidade da Rede Globo, uma "quase-novela" às 11 da noite. Não sabemos quantas vezes por semana, não sabemos a duração, mas vem novidade por aí. Isso é preciso. É fundamental que as redes se mexam e que o público se surpreenda.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Amigas loiras


Passeando pelo Youtube, sem objetivos, me deparei com uma entrevista que Xuxa fez com Angélica em 2000, na virada para o ano de 2001. Achei interessante o vídeo pois mostra uma época que, por alguma razão, parecia sofrida para a segunda loira. Angélica provavelmente estava trocando de emissora e redefinindo sua carreira.
Depois vi uma outra entrevista feita pela eterna Rainha dos Baixinhos com a moça angelical. Essa do ano de 2009. Muita coisa mudou. Angélica nesta oportunidade já feliz, com uma família bem estruturada e com os filhos que disse querer ter no passado.
Hoje Angélica é uma das maiores apresentadoras do país. Uma das minhas grandes curiosidades sobre a televisão hoje é: o que aconteceu com o Video-Game, o quadro apresentado por ela no Vídeo Show? Entrou de férias? Foi cancelado? Uma das coisas que, na época da crise, ela disse sentir falta é do público. E agora será que ela só tem seu programa de externas do início das tardes de Sábado? Angélica merece um programa com a sua cara. Merece, antes de tudo, um programa com seu nome! O que parece ser a glória para um apresentador na tv. Ela é uma apresentadora completa, e tenho a sensação de que ainda não teve, em toda sua carreira, aquele programa que pode-se chamar de próprio para ela, para o tamanho de seu talento.
Já Xuxa tenta encontrar seu espaço na Globo nesses novos tempos. Aparentemente aceitando que seu trabalho com crianças agora fica reservado para os dvd's, ela se prepara para a volta de seu TV Xuxa, agora nas tardes de Sábado, colocado na nova grade entre o programa da Angélica e o de Luciano Huck.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

Esforços reunidos


Vem aí na Record a novela Rebelde, em sua versão brasileira. Calma, não precisa parar de ler este texto agora. Acontece que mesmo que inconsciente parece rolar um medinho na emissora de que a novela não pegue. O público brasileiro já conhece a história, e a fórmula já teve seu tempo de sucesso.
De certo modo é uma tentativa do canal de Edir Macedo de atualizar um sucesso, de abrasileirar e repetir um sucesso. Os protagonistas da trama estiveram ontem no Legendários, programa de Marcos Mion. Claramente foi uma tentativa de aproveitar o público que assistia à boa fase do programa "humorístico/jornalístico" para conquistar telespectadores. A novela estreia dia 21 de Março, às 19 horas, o primeiro e agora novo horário de novelas da emissora.
É uma aposta grande da Record, mas o risco de voltar com tramas no início das noites preocupa. Dizem que nem se sabe o que colocar antes da novela na grade de programação para mandar boa audiência para os capítulos que seguem. Pode ser um jornalístico ou o possível "Todo mundo odeia o Chris".
Enfim, com ex-protagonista de Malhação sendo um dos principais personagens (Michael Borges), a atração não vai poupar esforços da casa para que seja sucesso. Vão até distribuir prêmios ao público, e com certeza toda a equipe de apresentadores da Barra Funda está pronta para falar da trama.

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Vi no ar - Globo

video

Pessoal, novidade aí.
A gente sempre tem algo a dizer sobre a televisão.
Então, vamos dar as caras.
Nesse vídeo falei, para começar essa série, sobre a Rede Globo de Televisão.
O que vocês tem a dizer sobre isso?

Follow o blog @eutivinatv
Follow me @solucas_

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Uma Top


A história do "Olha Você" no SBT foi um tanto conturbada, mas, sem dúvidas, uma das marcas que o programa deixou foi Ellen Jabour. A moça que já havia passado pelo Vídeo Show foi uma grata surpresa como apresentadora na revista eletrônica da emissora de Silvio Santos.
Os fãs da atração sempre se mostraram insatisfeitos pelo desaparecimento da loira. Ninguém sabia se ela ainda era contratada da emissora. Até disseram que apresentaria uma nova versão do Programa Livre. Enfim, agora o que parece se confirmar é que Ellen Jabour é a mais nova contratada da MTV e irá apresentar o TOP 10, programa de clipes. Ela já tem casa e agora poderá mostrar seu talento e escancarar o brilho que as outras emissoras perderam.

(informação de site especializado)

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Será nas madrugadas?


Lucas Alves

É, se o twitter @OficialAleFrota for realmente de Alexandre Frota, vem novidade por aí. O polêmico ator, que está participando do quadro "Os Opostos Se Atraem?" do Programa Eliana, tem dito sem meias palavras que estará com um programa novo já em Março.
Parece que o SBT lhe deu uma chance, provavelmente com um programa em alguma ou algumas madrugadas. É curioso o fato de que apenas essa fonte fala sobre tal atração, ninguém mais a comenta, ao menos por enquanto. Fato é que de todas as novidades do SBT em Março/Abril essa é aquela sobre a qual menos se sabe. Que tipo de programa será? Vale lembrar que Frota é o responsável pela Fazenda ter aparecido na Rede Record, atuou no Show do Tom e ainda teve participação no início do Legendários, de Marcos Mion. O que ele vai trazer pra gente?

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

O circo está armado


Lucas Alves

Tenho certeza que quem pensa o contrário vai me perdoar, mas sim, o Programa do Ratinho é um dos melhores programas da TV Aberta atual brasileira, e isso não é ruim. Acho até interessante essa percepção, pois a mesma atração já mereceu várias críticas e julgamentos em seus formatos anteriores.
Sendo apresentado às 21h30 o programa teve que se reiventar e ficar atento ao que agradava o público. Esperávamos, assim, baixaria e coisas do tipo, mas é, felizmente, o que menos vemos no circo do Ratinho. O apresentador está à vontade, teve tranquilidade para adequar o programa ao público e à concorrência. Aumentou a audiência do SBT no horário, porém ainda pretende ir mais longe a cada edição. É um programa que não se prende mais a fórmulas fixas, como anteriormente fazia apresentando DNA e Sonhos todos os dias. Agora é imprevisível, isso é interessante, pois se renova a cada dia. É um novo ar a cada noite, com brincadeiras, comédia e convidados interessantes. Muito bom.
Muitos não vão concordar, mas com certeza são aqueles que não conhecem a nova versão, e que não querem conhecer.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

VerTv - cinco anos


Lucas Alves

O programa VerTV, transmitido pela TV Brasil e pela TV Câmara, comemora cinco anos. O programa que discute a nossa televisão aberta, seus altos e baixos, e atitudes, começa os programas inéditos de 2011 neste domingo com a comemoração do aniversário da atração.
No programa especial, que foi gravado ontem, o apresentador Lalo Leal Filho mediou o debate em torno do tema "Os últimos dez anos da televisão brasileira e as perspectivas tecnológicas". Estavam presentes, além de estudantes de comunicação que formaram a plateia, os convidados Maurício Stycer (Uol), Thaís Naldoni (Terra Network) e Sérgio Euclides de Souza (Uniceub).
Eu estava presente, como estudante da área (e também aficionado pelo assunto), e no primeiro bloco discutiu-se Reality Shows. Notou-se que há muito o que falar sobre o assunto, o que forçou uma mudança no rumo da conversa para variar o tema. Falou-se então de conteúdo, da disseminação da audiência e do jornalismo esportivo, pontos que, sem dúvidas, marcaram a última década em nossa TV.
Foi uma tarde muito interessante, e os resultados você pode conferir já no próximo domingo, às 17 horas, na TV Brasil. Ou ainda na TV Câmara, na quarta-feira, 21h30. E há reprises por toda a grade de programação. É o programa VerTV, com Lalo Leal Filho.

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Volta às aulas


Lucas Alves
O pessoal que trabalha em televisão não consegue evitar o saudosismo. E quando uma estratégia, uma urgência, faz com que mudanças sejam necessárias, muitas vezes é no que já foi sucesso que os programas de hoje vão buscar refúgio.
O caso desta vez atende pelo nome de Gugu. Para este ano ele resolveu apostar na velha escolinha de humoristas para mudar (pouco) seu programa de domingo. A velha fórmula, que já fez tanto sucesso na própria Record e principalmente na Rede Globo (aí com Chico Anísio), possivelmente estará de volta na atração do loiro, o novo professor. Personagens como Paulo Cintura e Patropi devem renascer nessa versão.
Fica claro que o fato da ideia não ter sido sucesso na Band, que apostou nisso a pouco tempo, não preocupa a emissora dos bispos. Eles são confiantes o suficiente para colocar o gênero em prática e investir para que funcione. Vamos ver se algo de novo vem por aí, ou ao menos algo atraente.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Aperitivo


Lucas Alves

Caso de investigação? Cenas de Amor e Revolução, novela que estreia em Abril no SBT, foram parar no site Youtube. As cenas não apresentam uma sequência lógica, são variadas, como que sorteadas.
No início do acontecimento, com as primeiras postagens, parecia claro na visão de todos os pensadores do assunto que se tratava de divulgação disfarçada. Os "vazamentos" teriam sido propositais e bem articulados para gerar curiosidade no telespectador e para que fãs da emissora ramificassem e transmitissem as imagens. Plausível. Porém, o autor e parte do elenco da produção já desmentirem essa possibilidade no Twitter. Segundo eles, houve cópia das imagens e estão em busca de descobrir os responsáveis.
Não sei, se foi pensado ou não, funcionou como divulgação. A qualidade do que se tem é bastante interessante e o tema (ditadura) atrai. Há quem diga que garantir que foi furto e que as cenas vazaram é brincar com a inteligência do público e da crítica.
Já viram as cenas? São fáceis de achar.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Contra brothers?


Lucas Alves

Que atire o controle remoto quem nunca viu algum Big Brother Brasil. Por mais críticas que todos possamos fazer o programa não estaria na sua 11ª edição se não fisgasse o público.
A internet está cheia de embates e comentários de seguidores da atração, contra (violentamente ou não) aqueles que se orgulham em dizer que esse ano não sabe nada do programa. Como se saber o que acontece ali fizesse a pessoa ser menos inteligente, quase uma porta. Essa atitude não é nada mais do que uma necessidade de se sentir diferente e superior, em um ar cult mal compreendido.
Os participantes estão ali porque quiseram, e mais virão. Então já caem por terra críticas como coitados, são tão manipulados pela direção do programa. No mínimo todos sabem que a cada edição a desenfreada busca por superação de audiência vai fazer com que novas ideias sejam colocadas em prática. Algumas funcionam, outras não.
Nesse edição Ariadna, a transexual, parece ter deixado o jogo muito antes do que a emissora imaginava, o que provavelmente possibilitou a casa de vidro para que "alguém" retornasse à competição. Mas, quem o público escolheu para voltar foi Maurício, em uma clara intenção de que aconteça briga ou algo do tipo entre ele e Wesley, brother recém chegado que ficou com sua amada bbb.
O brasileiro gosta disso, de mexer, de decidir o destino de quem está ali. E quantos gostariam de estar lá. Programas do tipo sempre mexem com o telespectador e pelo que podemos ver, com inovações ou não, sempre mexerão.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Troca-se aqui


Lucas Alves

A troca de atores entre Globo e Record continua. E não deixa de ter seus pontos interessantes.
A novela Insensato Coração, entre participações especiais e elenco fixo, tirou da dita principal concorrente pelo menos quatro figuras marcantes para tal emissora. São elas: Gabriel Braga Nunes (o antagonista principal da novela das nove), Tuca Andrada, Lavínia Vlasak e Petrônio Gontijo.
A Rede Record, garantindo querer ampliar seu casting (e talvez globalizá-lo?), ignorou a baixa em seu elenco costumeiro e contratou ontem Betty Lago, peça marcante na Globo em novelas de Carlos Lombardi, como Uga Uga e Pé na Jaca. Ela possivelmente será uma empregada orgulhosa na próxima novela das dez da emissora dos bispos.
Ainda parece que a nova novela das sete da emissora dos Marinho tirou da Record o ator André Bankoff. Ele, que foi protagonista de Bicho do Mato, deve participar de Morde e Assopra, de Walcyr Carrasco, como um apaixonado por dinossauros.
É, nada parece tão seguro e garantido nas redes de TV quando a briga por audiência, por orgulho e por perfis próprios entra em jogo. Algumas contratações e notícias que surgem são curiosas e inesperadas. Mas não é nada ruim quando uma mexida aqui ou ali inova e quebra com a rigidez própria de um outro canal e de suas atrações. O que ainda virá pela frente? Certamente não será pouca coisa.

(imagem: blog pinheiroemfoco)

domingo, 23 de janeiro de 2011

Velhos domingos



Lucas Alves

Diferente do Domingo Legal, o Programa do Gugu merece parabéns. Ainda não é o antigo Gugu voltando para a TV, mas já é algo bem próximo disso.
Não nego que a atração de Celso Portiolli ainda me agrada em alguns pontos, porém possivelmente é por já ter sido pior, ali quando Gugu estava saindo do SBT. Época essa em que o programa de domingo era apenas um tapa-buracos sem sal.
Hoje assistindo o Programa do Gugu vi o imprevisto, vi um programa que não se prende em rotinas, que tenta surpreender, que tenta animar, informar, trazer novidades e que tenta reconhecer os sucessos do passado. O quadro Verão 2011 vai trazer a cada final de semana uma música que foi sucesso no mesmo período de anos anteriores e uma que pode ser líder das paradas desse ano. Interessante.
Ao Domingo Legal, que está em comemoração dos 18 anos e mostrando os melhores momentos, falta reconhecer o que funcionou, e mais ainda reconhecer que já teve muita criatividade no passado e fazer. Fazer sem repetir o mesmo a cada edição, sem entregar tudo para o público que, sem surpresas, perde o interesse.
Com tudo isso, o antigo Domingo do Gugu ainda não está de volta. Nem no SBT, nem na Record, mesmo que essa esteja passando mais perto disso.

Nas férias não se vê tv


Lucas Alves

Época de férias sempre causa uma certa confusão nos números de audiencia. Parte do público cativo de uma ou outra atração não costuma acompanhar seus apresentadores e programas preferidos.
Acontece que as notícias que venho acompanhando ultimamente estão um tanto estranhas. Sansão e Dalila, da Rede Record, segundo informações da internet, teria vencido a Globo em São Paulo. Uma mini-série que, mesmo sendo uma produção que recebeu muito investimento da emissora, não tem nada que pareça despertar tamanho interesse do público. Claro que a Record sabe colocar seus programas em horários específicos, atrasá-los ou adiantá-los quando necessário.
Ontem também soube que a novela Insensato Coração estava prestes a perder para Rodrigo Faro no Rio de Janeiro. Acho que não aconteceu. Porém qual seria o significado de um programa que aposta em danças, e coisas que já deveriam ter perdido a graça para o público, vencer a principal novela da principal emissora? Caos na telinha.
É, hora de atentar para a veracidade e validade de tais notícias, para aí sim poder ver o que elas significam. E se a volta ao ano normal, sem recessos, férias ou folgas, vai fazer a bagunça se tranquilizar.

(imagem de oblogdasusy)

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Melodrama mexicano?


Lucas Alves

Com nome de novela mexicana estreia nessa segunda-feira a nova novela da Rede Globo, a primeira novela das nove! Muito bom, agora a televisão entra numa nova era. Quem sabe poderemos no futuro dividir a história da TV em "antes da novela realmente das nove" e "depois da primeira novela realmente das nove".
Insensato Coração vem com um ar de que não vai inovar, de que não surpreenderá. Espero estar errado, pois gosto muito quando novelas mexem com o público, como aconteceu com A Favorita e Passione, essa que acaba hoje.
Por falar na história de Totó e companhia, encerra cumprindo sua missão. Pode ter tido menos audiência que sua antecessora, que teve menos que a antecessora dela e assim vai. É natural. Porém, não podemos negar os pontos altos da novela. Entre os destaques tivemos Clô, Olavo, Berilo, Jéssica, Clara (e avó) e Fred, entre outros. E Carolina Dieckmann não agradou.
Gabriel Braga Nunes e Tuca Andrada, retornando à casa após uma passagem trabalhosa na Rede Record, integram o time da nova trama, o primeiro sendo o antagonista. Interessante essa volta de atores que haviam deixado à rede dos Marinho. Confesso que minha maior curiosidade em relação à nova atração é sobre esses dois atores, principalmente o primeiro que, na minha opinião, já tinha a cara de Rede dos Bispos e agora volta à Globo em uma posição favorável, que, antes ausente, o mudou de emissora no passado. Vamos ver se essa nova história pega.

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Rindo sem amor


Lucas Alves

Eu facilmente elegeria TiTiTi como a melhor novela atualmente exibida na nossa TV. Mas, de uns tempos para cá, não concordo totalmente com essa ideia.
Murilo Benício e Cláudia Raia, entre outros, tem grande destaque na produção. Roubam a cena muitas vezes e animam a história. Porém, em um ponto a novela fica arrastada, ali, naquele ponto, é demonstrada uma certa perda de caminhos, uma consequência, talvez, do alongamento que a novela sofreu em seu tempo de exibição.
O amor, o amor é o problema da novela das sete. Aqueles casais que em outras novelas torcemos durante toda a história para que fiquem juntos já estão formados em TiTiTi. Agora, ainda faltando um tempo para a atração acabar, começam a desfazer os casais perfeitos perante o público. Não entro aqui no mérito da comparação com a primeira versão da novela, mas hoje o público com certeza não esperava que casais como Ari e Suzana, Luti e Valquíria, Marcela e Edgar, poderiam não ficar juntos ao final.
Pode ser que em uma história um casal acabe se desfazendo com os fatos, com os rumos que a história toma, só que na novela das 19:30 o amor passa fácil e o telespectador fica confuso.